Pular para o conteúdo principal

Ressaca do Carnatal

Mais um ano de Carnatal e pouca coisa foi resolvida.

Eu poderia muito bem copiar o texto do ano passado e colar aqui nessa nova postagem que já estaria resolvido. Mas algumas pequeníssimas melhoras aconteceram. Enquanto isso novos problemas também surgiram.
Foto: Canidé Soares

Na verdade o principal problema surgido esse ano foi a cara de pau dos organizadores de apropriarem-se de espaços públicos e lucrarem horrores de dinheiro enquanto o dinheiro escorre do bolso do contribuinte como água pelo ralo. Nos anos anteriores isso também  ocorria, mas esse ano o problema ficou mais grave. Porque antes os chamados foliões ficavam num local mais afastado enquanto o “povão” , a pipoca, curtia a festa no meio da rua. Esse ano como não puderam usar os espaços anteriores eles vieram para a rua e deixaram a galera se espremendo entre ambulantes, cercas e muros durante a passagem dos blocos.

A segregação


pode até não parecer um problema nessa festa onde muita gente se diverte independente do seu nível social ou quanto esteja disposto a gastar. Mas ela existe e é bem clara. Quem nuca ouviu comparações do tipo: o bloco “x” é elite enquanto o bloco “y” é a ralé? A elite fica no melhores lugares toma uísque e come bem. Enquanto o povão se espreme nas ruas tomando pinga e comendo asa de frango. Já os miseráveis, esses é de dar dó, catam latinhas que foram descartadas pelos foliões ou se submetem aos piores serviços por uma merreca como, por exemplo, segurar cordas e ganhar vinte e cinco reais por noite de trabalho duro. São fáceis de reconhecer, pois apesar de não aparecerem nas fotos que não mostram o lado triste do Carnatal, eles estão em toda parte com suas roupas sujas e seu saco de latinhas.

O que melhorou?

Pelo menos, depois da pressão do Ministério Público, os cordeiros receberam equipamentos de proteção (luvas e protetor auricular), apesar de uma boa parte insistir em não usar. As quentinhas da PM vieram quente e o refrigerante estava gelado. Ponto para o Coronel Araújo que enfatizou isso no segundo dia de evento. Refrigerante quente e quentinha fria, ninguém merece. Par o povão a melhora foi uma participação maior na festa, já que antes os blocos entravam no corredor e ninguém lembrava a velha pipoca, pipocando do lado de fora. A gora povo pôde pipocar junto com quem pagou pra pular dentro dos blocos.

Banheiro público

Apesar de haver muitos banheiros públicos. Teria que ter uma quantidade ainda maior. Tente imaginar duzentas mil pessoas, a maioria bebendo, para utilizar os banheiros químicos que foram disponibilizados. Só podia resultar num terrível fim, as pessoas urinavam no meio da rua e a podridão tomava conta do local do evento.

Foto: Canidé Soares

Fora isso os mesmo problemas de sempre. Os organizadores saem ganhando uma soma enorme de dinheiro, o povo paga pela festa outra soma também enorme, o lixo fica por conta da prefeitura, e quem curtiu, curtiu, quem não curtiu só o ano que vem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como saber se o Whisky é falso

Saiba como identificar se o whisky é falso ou original. Evitando assim problemas no dia seguinte a bebedeira. Não tem nada pior do que você acordar no outro dia para ir trabalhar e está com uma tremenda ressaca. E não existe ressaca pior do que a de whisky falsificado. A ressaca do whisky falsificado é pior do que a de outras bebidas por que além do álcool, que já é inerente às bebidas alcoólicas, são misturadas um monte de porcarias para baratear o custo da bebida e aumentar os lucros decorrentes da venda do produto falsificado. Há uma lista enorme e muitas especulações do que se coloca nessas bebidas. Uma coisa podemos afirmar, verdadeiramente, sobre o assunto. Nada do que os falsificadores colocam contribui para o bem estar de quem tomou a bebida, no dia seguinte. Há várias maneiras de descobrir se um whisky é falso. Para mim, que sou leigo no assunto e estou descobrindo mais informações apenas por decidi escrever sobre isto, não existe maneira mais fácil do que a velha e chata…

Gírias do policial militar

Uma homenagem a todos os policiais militares do Rio Grande do Norte.



Na caserna temos a oportunidade de aprender muitas gírias. Algumas delas são inerentes a todas as forças, outras são exclusividades apenas da marinha, ou do exército, ou de alguma outra força. Confira agora as gírias que fazem parte do dia-dia do policial militar

Policial militar
Não come... Pega o “L”
Não tem tarefa... Tem missão
Não some... Vira gás
Não estuda... Queima pestana
Não está na lista... Está na rela
Não tem amigo... Tem Campanha
Não tem amante... Tem 02
Não é burro... É apagado
Não fala presente... Fala “Hop”
Não volta atrás... Dá ultima forma, ou melhor, dá “QTA” no “QTC”
Não é esperto... É safo
Não se esconde... Escama
Não dorme... Tora
Não adoece... Baixa
Não entra... Avança
Não relaxa... Acoxambra
Não vai embora... Segui destino
Não fica de boa... Relaxa a posição
Não pedi licença... Pedi permissão
Não se protege... Fica coberto e abrigado
Não vai ao banheiro... Atende QNF
Não tem casa... Tem QTH sossego
Não bagunça... Toc…

Os vídeos mais engraçados do YouTube

Existem milhares de vídeos super engraçados na internet, mas alguns vídeos por motivos que muitas vezes não podemos explicar tornam-se fenômenos. E a partir daí tornam-se motivos de comentários em rodinhas de amigos sempre que se está levando um papo descontraído sobre vídeos na internet. Alguns se tornam tão populares que os seus autores ou participantes viram ídolos, chegando até mesmo a fazerem parte de programas de televisão, como no caso da Gaga de Ilhéus. Eu resolvi fazer uma lista dos vídeos que mais se destacaram e viraram fenômenos e ganharam com isso várias versões dos internautas através de músicas, desenhos e imitações. Muitas sem a menor noção, mas algumas chegam a superar a original.

Comeu e não pagou

O velhinho achou uma piranha na rua, contratou a menina para desopilar, mas não gostou do serviço. Parece que ele queria só o tradicional, mas a vadia resolveu inovar. Como se não fosse o bastante ela desrespeitou a lei primeira de todas as prostitutas (dinheiro na mão calc…