Pular para o conteúdo principal

SARGENTO CONTA COMO FOI AÇÃO QUE RESULTOU MORTE DE POLICIAL


O sargento da Polícia Militar, Emanuel Flor, ajudou na manhã de ontem a esclarecer a ação policial que resultou nas mortes do soldado Márcio do Nascimento Costa, de 32 anos, e do jovem Diego Nascimento dos Santos, 23, ocorridas no último sábado, após uma troca de tiros na frente do shopping Midway. Ainda se recuperando do tiro que sofreu na coxa direita, o policial afirmou que ainda não foi chamado para prestar depoimento e que não sabe se volta para as ruas, devido ao trauma que sofreu na ocorrência. Em relação à arma utilizada por Diego, o sargento afirmou que “só a perícia vai apontar de quem era”.
“Estava fazendo o patrulhamento de rotina quando o motorista do ônibus cortou luz e pedimos para que ele parasse. Perguntamos qual era o problema e ele contou que esse Diego estava fazendo baderna no ônibus, não tinha pago a passagem e se recusava a descer do transporte”, revelou o sargento. Nessa situação, o policial contou que teve que usar a “força necessária” para que o baderneiro descesse, mas ele, mesmo assim, não desceu.

“Ele falava: ‘não vou descer e quero ver vocês me tirarem daqui se puderem’. Ele só podia estar sob efeito de algum entorpecente ou era louco mesmo. Ninguém em estado normal de consciência iria tentar confrontar policiais militares armados”, afirmou o sargento. Com o auxílio de M. Costa e do outro soldado, que estava como motorista da viatura, mas que foi até à porta do ônibus para ajudar a tirar Diego de lá, o baderneiro desceu.

“Foi nesse momento que ouvi alguém dizendo: ‘a arma caiu’. Quando vi, já foi ele atirando contra mim e, depois, contra M. Costa. Então, saiu correndo e o outro soldado foi atrás e conseguiu pará-lo. Foi tudo muito rápido. A ação não durou 10 segundos”.

No chão depois de ser baleado, o sargento contou que ouviu M. Costa dizendo que havia sido atingido também. “Disse a ele para sentar do meu lado e respirar, porque o socorro estava chegando, mas ele falava: ‘sargento, não estou bem’. Depois disso, fui levado para o (hospital) Walfredo Gurgel e lá recebi a notícia que ele havia morrido”.

Em quase 19 anos de Polícia Militar, o sargento contou que jamais tinha passado por algo desse tipo e agora não sabe se vai voltar para a patrulha nas ruas. “A PM perdeu um grande policial, e perdi um grande amigo. Não sei se volto. Fiquei muito abalado”, declarou.


bate papo - Emanuel Flor » Sargento da PM

Como está sua recuperação?

Tenho que trocar o curativo da coxa (direita) todos os dias e nem uma muleta eu tenho para andar. Não estou conseguindo firmar a perna no chão. Fora isso, estou bem. Não precisei passar por cirurgia, porque a bala entrou e saiu.

E o trauma de ver o colega morrer, é grande?

Muito. Tenho quase 19 anos de Polícia e nunca tinha passado por isso. M. Costa era meu amigo, trabalhava com ele há quase um ano. Era um policial exemplar. Estou muito sentido. Ainda mais, porque pela forma como aconteceu, poderia ter sido eu.

Afinal, de quem foi a arma que caiu? A sua, a de M. Costa ou Diego estava armado?

Não sei. Só a perícia vai poder apontar.

Você já prestou depoimento?

Ainda não, mas vou prestar. Soube que o motorista do ônibus já foi ouvido. Devo prestar depoimento nos próximos dias.

Como está o outro soldado que estava na ação com vocês?

Fisicamente, ele está bem, mas também abalado psicologicamente.

Diego parecia mesmo estar fora de si?

Sim. Ninguém normal vai confrontar policiais militares armados como ele fez. Digo mais: ainda bem que ele foi neutralizado porque o incidente poderia ter sido muito maior. Havia muita gente na frente do shopping, outras pessoas inocentes poderiam ter sido baleadas.

O que você espera agora desse caso?

Espero Justiça. Soube que algumas pessoas já quiseram colocar Diego como estudante inocente e que tudo foi resultado da truculência da PM, mas não foi assim. Fui baleado defendendo a sociedade de algo que poderia ser pior. Meu colega morreu do mesmo jeito. Se aquele homem tivesse continuado armado, do mesmo jeito que ele atirou contra a gente, poderia ter matado outras pessoas. Tenho certeza disso. Foi legítima defesa nossa.

Pretende voltar para as ruas?

Não sei. Estou muito abalado. Já tinha participado de troca de tiros, mas nunca tinha sido baleado e nunca tinha visto um amigo meu morrer em ação.


Ciro Marques - repórter


FONTE;  Tribuna do Norte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como saber se o Whisky é falso

Saiba como identificar se o whisky é falso ou original. Evitando assim problemas no dia seguinte a bebedeira. Não tem nada pior do que você acordar no outro dia para ir trabalhar e está com uma tremenda ressaca. E não existe ressaca pior do que a de whisky falsificado. A ressaca do whisky falsificado é pior do que a de outras bebidas por que além do álcool, que já é inerente às bebidas alcoólicas, são misturadas um monte de porcarias para baratear o custo da bebida e aumentar os lucros decorrentes da venda do produto falsificado. Há uma lista enorme e muitas especulações do que se coloca nessas bebidas. Uma coisa podemos afirmar, verdadeiramente, sobre o assunto. Nada do que os falsificadores colocam contribui para o bem estar de quem tomou a bebida, no dia seguinte. Há várias maneiras de descobrir se um whisky é falso. Para mim, que sou leigo no assunto e estou descobrindo mais informações apenas por decidi escrever sobre isto, não existe maneira mais fácil do que a velha e chata…

Gírias do policial militar

Uma homenagem a todos os policiais militares do Rio Grande do Norte.



Na caserna temos a oportunidade de aprender muitas gírias. Algumas delas são inerentes a todas as forças, outras são exclusividades apenas da marinha, ou do exército, ou de alguma outra força. Confira agora as gírias que fazem parte do dia-dia do policial militar

Policial militar
Não come... Pega o “L”
Não tem tarefa... Tem missão
Não some... Vira gás
Não estuda... Queima pestana
Não está na lista... Está na rela
Não tem amigo... Tem Campanha
Não tem amante... Tem 02
Não é burro... É apagado
Não fala presente... Fala “Hop”
Não volta atrás... Dá ultima forma, ou melhor, dá “QTA” no “QTC”
Não é esperto... É safo
Não se esconde... Escama
Não dorme... Tora
Não adoece... Baixa
Não entra... Avança
Não relaxa... Acoxambra
Não vai embora... Segui destino
Não fica de boa... Relaxa a posição
Não pedi licença... Pedi permissão
Não se protege... Fica coberto e abrigado
Não vai ao banheiro... Atende QNF
Não tem casa... Tem QTH sossego
Não bagunça... Toc…

Os vídeos mais engraçados do YouTube

Existem milhares de vídeos super engraçados na internet, mas alguns vídeos por motivos que muitas vezes não podemos explicar tornam-se fenômenos. E a partir daí tornam-se motivos de comentários em rodinhas de amigos sempre que se está levando um papo descontraído sobre vídeos na internet. Alguns se tornam tão populares que os seus autores ou participantes viram ídolos, chegando até mesmo a fazerem parte de programas de televisão, como no caso da Gaga de Ilhéus. Eu resolvi fazer uma lista dos vídeos que mais se destacaram e viraram fenômenos e ganharam com isso várias versões dos internautas através de músicas, desenhos e imitações. Muitas sem a menor noção, mas algumas chegam a superar a original.

Comeu e não pagou

O velhinho achou uma piranha na rua, contratou a menina para desopilar, mas não gostou do serviço. Parece que ele queria só o tradicional, mas a vadia resolveu inovar. Como se não fosse o bastante ela desrespeitou a lei primeira de todas as prostitutas (dinheiro na mão calc…