Pular para o conteúdo principal

Primeiro paciente HIV-positivo curado

Médicos alemães declararam que, pela primeira vez, a cura da infecção por HIV foi alcançada em um paciente.

A pesquisa começou em 2007. Os médicos realizaram um transplante de células-tronco em um homem infectado pelo HIV com leucemia. Agora, eles acreditam que o homem foi curado da infecção pelo HIV, como resultado do tratamento que introduziu as células-tronco resistentes à infecção por HIV.

O paciente era soropositivo e tinha desenvolvido uma leucemia mielóide aguda. Ele já havia recebido um tratamento bem sucedido para a leucemia e, posteriormente, teve uma recaída em 2007, o que exigiu um transplante de células-tronco.

O homem recebeu uma medula óssea de um doador que tinha resistência natural à infecção por HIV; isso acontece devido ao perfil genético de algumas pessoas, nas quais falta o co-receptor CCR5. A variedade mais comum de HIV usa o CCR5 como uma “estação de entrada”, deixando o vírus entrar e infectar as células do paciente. As pessoas que tem essa mutação específica, e não tem o CCR5, são quase completamente protegidas contra a doença.

Essa mutação está presente em menos de 1% da população branca na Europa setentrional e ocidental, e está associada com uma redução do risco de se infectar com o HIV. Ou seja, os médicos escolheram as células-tronco de um indivíduo que tinha um perfil genético incomum: uma mutação herdada de ambos os pais, que resultou em células CD4 – células nas quais faltavam o receptor CCR5.

Antes do transplante de células-tronco, o paciente recebeu tratamento de quimioterapia que destruiu a maioria das células imunológicas, e também recebeu medicamentos imunossupressores para evitar a rejeição das células-tronco. As terapias foram interrompidas no dia do transplante.

O paciente continuou a receber tratamento imunossupressor para prevenir a rejeição por 38 meses. Aos 5, 24 e 29 meses ele recebeu biópsias. Amostras adicionais foram tomadas para checar sinais de infecção por HIV nas células imunes da parede do intestino.

Durante o período de 38 meses de acompanhamento, as células CD4 doadas repovoaram o sistema imune da mucosa do intestino do paciente, a tal ponto que a frequência de células CD4 era quase o dobro do que em pacientes HIV-negativos saudáveis (do grupo de controle). Esse fenômeno também foi observado em um grupo controle de dez indivíduos HIV-negativos que receberam transplantes de células-tronco.

O repovoamento de células CD4 mutantes foi acompanhado pelo desaparecimento das antigas células CD4. Depois de dois anos, o paciente tinha a contagem de células CD4 de um adulto saudável da mesma idade.

Um dos desafios para qualquer cura da infecção pelo HIV são as células do sistema imunológico, que duram muito, e precisam ser removidas antes que um paciente possa ser curado. No caso do paciente de Berlim, a quimioterapia pareceu ter destruído as células de vida mais longa, e que tinham sido substituídas por células do doador.

O paciente não retomou a terapia anti-retroviral após o transplante. No entanto, o HIV permaneceu indetectável pelos dois testes de carga viral (RNA) e os testes de DNA viral dentro das células. Os níveis de anticorpos contra o HIV diminuíram a tal ponto que o paciente não tinha anticorpos reativos ao núcleo do HIV, apenas níveis muito baixos de anticorpos contra proteínas do HIV.

Dezessete meses após o transplante, o paciente desenvolveu uma condição neurológica, o que exigiu uma biópsia do cérebro. O HIV também foi indetectável no cérebro.

Uma indicação adicional de que o HIV não está presente no paciente reside no fato de que as células CD4 do paciente são vulneráveis à infecção com o vírus que atinge o receptor CXCR4 (a única forma que os pacientes com mutação onde está ausente o CCR5 podem pegar). Se algum vírus com esta preferência ainda estivesse presente, infectaria rapidamente a grande população de células CD4.

O paciente, além do HIV, teve um tratamento para a leucemia cansativo e demorado, com recaídas. Seu problema neurológico o levou à cegueira temporária e problemas de memória. Ele ainda está em fase de fisioterapia para restaurar a sua coordenação, bem como terapia fonoaudiológica.

Se a cura realmente foi alcançada neste paciente, aponta o caminho para as tentativas de desenvolver uma cura para a infecção por HIV através de células-tronco geneticamente modificadas.

Segundo os pesquisadores, as conclusões apontam para a importância de suprimir a produção de células CCR5, quer através de transplantes ou terapia gênica. Eles discutem como poderiam coordenar os esforços para identificar doadores CCR5-delta32 homozigotos, e ampliar a oferta de células-tronco desses doadores.

Por exemplo, através de amostra de células do sangue do cordão umbilical de bebês nascidos de mães que são homozigotos para CCR5-delta32, a fim de, eventualmente, facilitar a terapia com células-tronco.

Porém, as técnicas de terapia genética, que podem transformar as células-tronco e todos os seus descendentes em células resistentes à entrada do HIV, pode ser uma opção mais prática do que procurar doadores.

Muitos grupos de pesquisa receberam financiamento para explorar as técnicas de engenharia e de introdução de células-tronco sem CCR5. Se essas abordagens tiverem sucesso, serão terapias caras, por isso nos primeiros estágios é provável que a cura seja reservada para pessoas sem opções de tratamento, ou com câncer de medula óssea, ou que exijam transferência de células-tronco.

Fonte: hypescience

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como saber se o Whisky é falso

Saiba como identificar se o whisky é falso ou original. Evitando assim problemas no dia seguinte a bebedeira. Não tem nada pior do que você acordar no outro dia para ir trabalhar e está com uma tremenda ressaca. E não existe ressaca pior do que a de whisky falsificado. A ressaca do whisky falsificado é pior do que a de outras bebidas por que além do álcool, que já é inerente às bebidas alcoólicas, são misturadas um monte de porcarias para baratear o custo da bebida e aumentar os lucros decorrentes da venda do produto falsificado. Há uma lista enorme e muitas especulações do que se coloca nessas bebidas. Uma coisa podemos afirmar, verdadeiramente, sobre o assunto. Nada do que os falsificadores colocam contribui para o bem estar de quem tomou a bebida, no dia seguinte. Há várias maneiras de descobrir se um whisky é falso. Para mim, que sou leigo no assunto e estou descobrindo mais informações apenas por decidi escrever sobre isto, não existe maneira mais fácil do que a velha e chata…

Gírias do policial militar

Uma homenagem a todos os policiais militares do Rio Grande do Norte.



Na caserna temos a oportunidade de aprender muitas gírias. Algumas delas são inerentes a todas as forças, outras são exclusividades apenas da marinha, ou do exército, ou de alguma outra força. Confira agora as gírias que fazem parte do dia-dia do policial militar

Policial militar
Não come... Pega o “L”
Não tem tarefa... Tem missão
Não some... Vira gás
Não estuda... Queima pestana
Não está na lista... Está na rela
Não tem amigo... Tem Campanha
Não tem amante... Tem 02
Não é burro... É apagado
Não fala presente... Fala “Hop”
Não volta atrás... Dá ultima forma, ou melhor, dá “QTA” no “QTC”
Não é esperto... É safo
Não se esconde... Escama
Não dorme... Tora
Não adoece... Baixa
Não entra... Avança
Não relaxa... Acoxambra
Não vai embora... Segui destino
Não fica de boa... Relaxa a posição
Não pedi licença... Pedi permissão
Não se protege... Fica coberto e abrigado
Não vai ao banheiro... Atende QNF
Não tem casa... Tem QTH sossego
Não bagunça... Toc…

Os vídeos mais engraçados do YouTube

Existem milhares de vídeos super engraçados na internet, mas alguns vídeos por motivos que muitas vezes não podemos explicar tornam-se fenômenos. E a partir daí tornam-se motivos de comentários em rodinhas de amigos sempre que se está levando um papo descontraído sobre vídeos na internet. Alguns se tornam tão populares que os seus autores ou participantes viram ídolos, chegando até mesmo a fazerem parte de programas de televisão, como no caso da Gaga de Ilhéus. Eu resolvi fazer uma lista dos vídeos que mais se destacaram e viraram fenômenos e ganharam com isso várias versões dos internautas através de músicas, desenhos e imitações. Muitas sem a menor noção, mas algumas chegam a superar a original.

Comeu e não pagou

O velhinho achou uma piranha na rua, contratou a menina para desopilar, mas não gostou do serviço. Parece que ele queria só o tradicional, mas a vadia resolveu inovar. Como se não fosse o bastante ela desrespeitou a lei primeira de todas as prostitutas (dinheiro na mão calc…